segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Estupro coletivo em Queimadas. A certeza da impunidade ou a banalização da violência contra a mulher?

Os estupradores.


Li estarrecida a notícia sobre um estupro coletivo na cidade de Queimadas – PB. Segundo a delegada Cassandra Duarte, Eduardo Santos Pereira resolveu dar de presente de aniversário ao irmão, Luciano Santos Pereira, um estupro coletivo! Eduardo organizou a festa, convidou os amigos, convidou as mulheres que seriam estupradas, e começou a festa.
Na hora combinada, os amigos chegaram armados como bandidos que são, trancaram em um quarto os donos da casa, em outro quarto os homens que não foram convidados para o estupro e, em outro as cinco mulheres que foram vendadas.
E só nesse momento foi que a festa realmente começou para o aniversariante, o irmão que providenciou o presente, e os amigos estupradores.
A recepcionista Michele Domingos da Silva, 29 anos, e a professora Isabela Jussara Frazão Monteiro, 27 anos, conseguiram reconhecer os bandidos e assim selaram suas sentenças: morte.
Os bandidos foram embora levando as duas que por azar sabiam quem eram os seus algozes. Michele recebeu quatro tiros de pistola calibre 40, na frente da igreja que fica a poucos metros da casa onde aconteceu a festa. Morta. 
Isabela foi encontrada em cima do carro que os bandidos utilizaram para fugir, com um pano na boca, dois tiros na virilha, um tiro no abdômen. Morta.
Dez homens – entre os quais três adolescentes – foram detidos. José Fernandes Franca Júnior, 22 anos, foi preso no início da tarde desta segunda-feira (13), em Massaranbuda.
Os irmãos Eduardo e Luciano foram presos no velório de Michele e Isabela, em meio a comoção pelas mortes das mulheres.
Quanto tempo ficarão na cadeia?
A certeza da impunidade é tão grande que estupro de mulher agora é planejado como presente de aniversário para esses monstros?
Até quando a mulher será massacrada, assassinada, estuprada, esquartejada?
Até quando?
Até quando?
Até quando?
Até quando?