segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A sedentária e a montanha.


por Ana Clara Maia


Sou oficialmente sedentária. Passo cerca de 12 horas por dia na frente do computador. Atualmente, não faço caminhada, não frequento academia. Meu exercício é intelectual, aliás, nessa área trabalho muito.
Pois bem, além do meu trabalho na secretaria de cultura de  Areia, também coordeno o Ponto de Cultura de Pilões. O projeto do Ponto é encontrar os contadores de história, ouvi-los e transformar essas histórias em livros e documentários.
Nisso de ouvir as histórias, uma surgiu muito forte nas entrevistas, que é a da Pedra do Cruzeiro, com todas as lendas que a envolve. A equipe decidiu conhecer a Pedra e eu fui junto, sem imaginar o que significava descer a Pedra.
Durante a reunião de planejamento, Rafael, que conhece a Pedra como conhece sua casa, nos disse que subiríamos de carro até bem perto do alto, onde tem a capela, a casa dos ex-votos e o Pé de Cristo. Segundo a lenda local, essa marca de um pé incrustada na pedra é a marca do pé de Cristo e, a pessoa que conseguir encaixar seu pé na marca estará salva, caso contrário irá para qualquer lugar, após a morte, menos para o céu. Depois de visitar o alto da Pedra desceríamos pela trilha até duas locas que também despertam o imaginário local.
Pois bem, acordamos no domingo bem cedo, passamos pela feira livre para colher alguns depoimentos, subimos no carro e partimos rumo à famosa Pedra. O carro chega até bem perto do alto, no verão. Chegamos à Pedra com 5 minutos de caminhada ladeira à cima. A vista é realmente de tirar o fôlego. Eu visitei a capela, a casa dos ex-votos e fui testar minha ida para o céu. Meu pé encaixou direitinho no pé de Cristo, coisa que me deixou muito feliz pois, ali estava a prova que meus pecados não eram tantos assim. Olhamos a vista, fotografamos tudo e Rafael avisou que estava na hora de começarmos a descida.




Toda satisfeita, sigo junto com o grupo, afinal descer é fácil, difícil é subir uma montanha.
De início realmente foi bem fácil. Seguimos por uma estrada larga, passamos por uma plantação de batatas e chegamos à cacimba que nos forneceu água fresca. Em seguida, enveredamos por uma trilha de mata fechada. Foi aí que a dificuldade começou.






No meio da mata as pedras surgiram. Algumas imensas, majestosas, que tivemos que contornar, outras, pequenas, pontiagudas, escorregadias, que tivemos que escalar. Não levamos cordas e alguns tombos foram inevitáveis. A maioria meus, claro! Antes de chegar na Loca dos Americanos caí duas vezes. A primeira no meio das pedras onde torci o pulso, a segunda em um caminho de folhas secas, que decidi utilizar, para não ter que pular de pedra em pedra. As folhas secas, umas por cima das outras escorregam feito sabão. Quando pensei que, já estava no chão. Alguns xingamentos foram inevitáveis. Quem me conhece sabe. Levantei, recompus minha dignidade e segui em frente, com o apoio da mão de Paulo Roberto. 





Enfim, chegamos na primeira loca, a dos Americanos. Contam os antigos que alguns americanos passaram um bom tempo nessa loca procurando pedras preciosas. Não encontraram nada e foram embora. O lugar é lindo e assustador para alguém como eu, que não está acostumada a lidar com morcegos e maribondos. Os maribondos deram uma surra em Paulo Roberto, nosso cinegrafista, quando ele tentava colher um mamão. Aliás, devo dizer que os americanos não passaram fome por ali, pois o lugar tem muita manga, jaca, laranja, cajú, mamão, fava e muito mais. 






Com Paulo Roberto refeito das picadas, seguimos em direção a Loca do Major. Inocentemente achei que ficava ali por perto. Que nada! Haja caminhada. Sobe pedra, desce pedra, se arranha nos matos, conseguimos chegar em uma fonte de água cristalina, onde Rafael, que parecia mais um cabrito montês pulando de uma pedra para outra durante todo o percurso, escorrega nas pedras molhadas e vai ao chão. Recuperados e refrescados, pegamos novamente a trilha e conseguimos finalmente chegar na Loca do Major. Nesse ponto, minhas pernas já não obedeciam ao comando do meu cérebro e eu só pensava em chegar onde o carro nos esperava. Visitado, fotografado e registrado o esconderijo dos antigos Majores da região, finalmente pegamos a trilha que nos levou direto para o pé da bendita montanha! 


Estou aqui agora, um dia depois dessa maratona, sem conseguir dar um só passo.

sábado, 26 de novembro de 2011

De Niterói para Areia


Visão do Parque da Cidade

Um texto de Antonio Claudio Maia
Correspondente carioca do Blog da Ana Clara Maia
    
A cidade de Niterói completou em 22 de novembro seus 438 anos de existência, já tendo sido capital do antigo Estado do Rio de Janeiro, quando o estado da Guanabara ainda existia, e que perdurou até o ano de 1975.
Após a fusão dos dois estados, da Guanabara e do Rio de Janeiro, a federação passou a ter um único estado, o novo Estado do Rio de Janeiro, que absorveu todos os municípios dos dois anteriores.
Campo de São Bento

Entardecer em Niterói com Rio de Janeiro ao fundo
Diante desse novo quadro sócio-político-geográfico e demográfico, pelo menos uns quinze anos se passaram até que se finalizasse uma unificação real a nível cultural e burocrático, e os cidadãos começarem a aceitar a nova realidade.

O chamado “carioca da gema”, denominação das pessoas nascidas no extinto Estado da Guanabara, passou a ser somente “carioca” para os naturais da atual capital do Estado do Rio de Janeiro, o  que é o meu caso.
Os “fluminenses”, pessoas naturais do antigo estado do Rio de Janeiro, passaram a ser denominadas mediante suas cidades de origem na estrutura do novo estado, e no caso dos nascidos em Niterói, de  niteroienses.
MAC - Museu de Arte Contemporânea



A cidade de Niterói é predominantemente litorânea, com muitas praias de baía, e lindíssimas praias oceânicas com altíssimo apelo ao turismo, náutica, esportes de areia, e promover a integração social através de projetos musicais na orla.
No último dia 22 de novembro, dia do aniversário de Niterói,  fomos brindados com um show ao vivo do Ney Matogrosso nas areias da Praia de Icaraí, mas em outros tantos momentos recebemos Lenine, Zeca Pagodinho, Alcione, Maria Rita, Geraldinho Azevedo,  e outros tantos bambas da MPB, pois aqui tudo é motivo para festejar.

Praia de Icaraí

Surf na Praia de Piratininga

Costão de Itacoatiara
Outro apelo popular que tomou conta da cidade foi a recente Parada Gay, que já realizou três edições, reunindo o público mais diversificado possível, vindos de todos os cantos do Brasil, e demonstrando um perfil de evento de massa generalizado, não mais sendo exclusividade do público GLBTS, sem deixar faltar é claro o perfil e a irreverência de cada segmento e o apelo político necessário pelas conquistas sociais.

Na orla de baía, Niterói se destaca pela indústria naval e na construção civil, bastante aquecidas pelas metas empreendedoras principalmente do governo estadual. Aquecimento esse que se refletirá mais ainda nas estatísticas econômicas com a implantação do Pólo Petroquímico do Rio de Janeiro, que será instalado na cidade vizinha de São Gonçalo, devendo atrair uma média de 250 mil técnicos vindos de todo o Brasil, em sua grande maioria com suas famílias, o que vai exigir um esforço integrado das cidades periféricas em poder absorver essa massa de pessoas que aqui aportarão, e a necessidade de investimentos secundários nas áreas de habitação, saúde, educação, transportes coletivos, prestação de serviços, melhoria das vias de acesso e de escoamento da produção petroquímica.

Túnel da Estação Hidroviária da Charitas

Túnel da Estação Hidroviária da Charitas
Niterói tem um IDH mais bem distribuído do país segundo os institutos de aferição demográfica e sócio-econômica, sua população atual beira meio milhão de habitantes, considerado o terceiro lugar de melhor qualidade de vida no Brasil, com 90% de sua renda distribuída nas classes A, B e C, o que torna uma das cidades mais ricas do Brasil.
Não fosse pela vizinha cidade do Rio de Janeiro, Niterói com certeza seria melhor aproveitada em investimentos em sua topografia objetivando o turismo, tão linda que culminou com o título de “Cidade Sorriso” já há alguns anos.
Você também pode chamá-la carinhosamente de “NIKITI”, igualmente seus jovens.

A educação é outro ponto de referência da cidade, Niterói sedia o campus da UFF – Universidade Federal Fluminense, e de outras tantas instituições de ensino superior da iniciativa privada. Sua corrente política é de esquerda, se revezando na administração municipal o PT e o PDT, que privilegiam consideravelmente a educação.
Aqui não basta se ter um secretário de educação, Niterói faz questão de despontar mais no cenário dos ensinos fundamental, médio e superior através de sua Fundação Municipal de Educação, que mantém aquecidas as metas federais de aprendizado inclusivo, sendo pioneira da participação de portadores de patologias como paralisia cerebral e Síndrome de Down nas mesmas salas de aula dos demais alunos, sob a execução dessas metas pelo governo municipal.

Distante da capital do estado por apenas 15 quilômetros, você pode chegar ao centro do Rio de Janeiro através da Ponte Rio-Niterói, ou através de catamarãs que caracterizam o transporte hidroviário na Baía de Guanabara, tendo os dois transportes uma média de 20 minutos de trajeto. Estar em Niterói é estar no Rio de Janeiro, as atividades e a cultura se mesclam numa harmônica, produtiva e saudável vizinhança.

Com uma temperatura média na casa dos 28º, não há como escapar de uma boa parada na infinidade de bares e restaurantes que funcionam dia e noite, onde se senta, se confraterniza, e bebe-se um chopp bem gelado, principalmente nos dias de sexta-feira e sábado. Não há como deixar de apreciar um bom teatro, peças aqui é o que não faltam, ver um bom filme nas salas de exibição de cinema, passear nos shoppings onde você anda e anda com lojas por todos os lados, se gasta as vezes 25 minutos de ponta a ponta de tão grandes que são,  e os mais variados modelos de arte e cultura, recantos e paisagens espalhados pela cidade.
Niterói, igualmente o Rio, não tem esquina sem samba ou pagode, aqui é difícil ficar parado, nem eu mesmo sei como estou conseguindo ficar aqui sentado relatando isso para vocês aí de Areia.

Mas, me sinto bastante gratificado de poder passar um pouco daqui da minha cidade de Niterói para vocês, cidade onde escolhi viver e constituir família, na realidade sou carioca, carioca da gema, da capital do Rio de Janeiro, mas não troco Niterói por lugar nenhum nesse país ou no mundo.
Entretanto, o carinho que sinto por Niterói e Areia foi que me motivou a dividir essas informações com vocês, adoro esse brejo.


                 Saudações cariocas e niteroienses com sangue paraibano.

sábado, 19 de novembro de 2011

UEPB publica edital para concurso de servidores.



A Universidade Estadual da Paraíba publicou o Edital de Concurso para provimento de 279 vagas para pessoal do corpo técnico-administrativo nos níveis fundamental, médio e superior. As inscrições estarão abertas de 28 de novembro a 07 de janeiro de 2012.
O endereço para a inscrição é: http://www.paqtc.org.br.
As vagas estão distribuídas da seguinte forma:
- 27 vagas para o nível fundamental;
- 201 para ensino médio e;
- 51 para o nível superior.
As provas acontecerão no dia 12 de fevereiro de 2012. A divulgação do resultado final deverá sair entre março e abril do próximo ano.

As vagas para nível fundamental são de Carpinteiro, Eletricista, Encanador, Mestre de Obra, Auxiliar de Laboratório: Análises Clínicas, Operador de centro telefônico: Telefonista, Auxiliar de Cozinheiro, Auxiliar de Laboratório de Análises Físico-Química.
Os Vencimentos Bases são de R$ 1.134,54 a R$ 1.274,77.

As vagas para nível médio são de Almoxarife, Assistente Administrativo, Atendente de Consultório Dentário, Auxiliar de Serviços Bibliotecários, Operador de Máquinas Agrícolas: Tratorista, Técnico em Contabilidade, Técnico em Informática: Manutenção, Instalação e Programador, Técnico de Enfermagem, Técnico em Agropecuária, Técnico em Segurança do Trabalho, Técnico em Laboratório: Análise Clínica, Biologia, Bioquímica, Esterilização, Estúdio e Multimídia, Histopatologia, Microbiologia, Química, Radiologia, Anatomia, Prótese Dentária, Genética e Física.
Os salários vão de R$ 2.031,79 a R$ 2.282,92.

As vagas para nível superior são de Administrador, Advogado, Analista de Sistemas: Desenvolvimento de Sistema de Informação, Arquiteto, Arquivista, Assistente Social, Bibliotecário, Comunicólogo, Contador, Design: Promocional, Engenheiro Civil, Engenheiro Elétrico, Nutricionista, Pedagogo, Químico, Psicólogo Organizacional, Secretário Executivo.
O Salário Base é de R$ 2.882,13.

A taxa de inscrição é de R$ 40,00 para cargo de nível fundamental; R$ 55,00 para cargo de nível médio, R$ 65,00 para cargo técnico de nível médio, e R$ 90,00 para cargo de nível superior.
O conteúdo programático consta no Edital.

sábado, 5 de novembro de 2011

Estão abertas as inscrições para o Vestibular da UFPB Virtual




Mais informações:
http://portal.virtual.ufpb.br/wordpress/vestibular/vestibular-2012/

Programação do Encontro da Família Gouveia – Azevedo Maia e Amigos

Colégio Estadual Min. José Américo de Almeida



DATA: 09 (sexta) de dezembro de 2011 
LOCAL: Areia / PB
Restaurante Villa de Areia (Carlos Barreto e Raimunda), em frente ao Colégio Estadual.
HORÁRIO: Noite
As despesas serão por conta de cada um.

DATA: 10 (sábado) de dezembro de 2011
LOCAL: Areia / PB
Restaurante Villa de Areia (Carlos Barreto e Raimunda), em frente ao Colégio Estadual.
HORÁRIO: Fechado para o evento à partir do meio-dia.
Será cobrado na entrada do restaurante, o valor de R$ 35,00 por pessoa. Nesse valor está incluído o almoço (self service), sobremesa, água mineral, gelo, refrigerante e um café da tarde.
A bebida alcoólica fica por conta dos participantes.

Música: Teclado com Neném e, participação dos músicos da família e amigos. Por isso, tragam seus instrumentos musicais e, os cantores, temperem a garganta.

Sua presença é muito importante!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

O Chá dos Acadêmicos



A Academia de Letras de Areia foi fundada com muita emoção e alegria. Os Acadêmicos, depois das solenidades de praxe, participaram do 1o Chá da Casa de Horácio de Almeida.









Edésio Maia, Janaína Azevedo e Claudio Antun Maia
Istra Barbosa, Lêda Maria e Zezé Vasconcelos
Valberto Cardoso, Janice Oliveira, Raffael Lima e Janaína Azevedo
Zezé Vasconcelos e Ana Clara Maia
Carlos Azevedo, Zélia Almeida, Janaína Azevedo e Tarcísio Laureano

Istra Barbosa foi a responsável pelo magnífico buffet.