sábado, 22 de janeiro de 2011

Romero Britto celebra vitória de Dilma com anúncio no 'NYT'

Retrato de Dilma feito pelo artista plástico Romero Britto publicado na 'The New York Times'

Reproduzindo matéria de ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER

Por achar a presidente Dilma Rousseff "uma coisa maravilhosa", o artista plástico Romero Britto decidiu homenageá-la.
Publicou, na edição desta semana da "The New York Times Magazine", a revista dominical do "The New York Times", um anúncio de página inteira.
Para tanto, calcula ter gasto US$ 20 mil (cerca de R$ 33,5 mil). Aos domingos, a tiragem da revista fica em torno de 400 mil exemplares.
Pernambucano com galeria em Miami, autor de murais ultracoloridos, Britto usou a peça publicitária para apresentar sua versão de Dilma ao público americano.
A presidente é retratada com as cores fortes que caracterizam a obra do artista, com pinturas nas bochechas que lembram o personagem Pablo do programa "Qual é a Música?", do SBT.
Acima da imagem, lê-se "parabéns, minha querida, a nova presidente do Brasil".
Na sequência, o artista parabeniza "todas as mulheres da América Latina".
Britto diz que, dos amigos americanos, só ouve "comentários positivos" sobre a sucessora de Lula.
A empolgação pela "primeira mulher presidente", segundo ele, foi contagiante. Nos Estados Unidos durante as eleições, afirma ter feito questão de votar na petista lá mesmo.
Ele não sabe se Dilma já ficou a par da homenagem, mas disse que pretende presenteá-la com a arte em sua próxima visita ao Brasil. Espera que seja no Carnaval.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A VERDADE SOBRE QUINTO DE SANTA RITA, O RECÉM NOMEADO GESTOR DE FOMENTO AO PRODUTO TURÍSTICO DA PARAÍBA.


Para quem não sabe ou não se lembra, Flaviano Quinto, ou simplesmente, Quinto, na década de 80, assassinou barbaramente Maria Helena, que na época era a sua namorada. O crime chocou todo o Brasil, devido à sua crueldade e barbaridade.
Maria Helena foi espancada e jogada para fora de uma caminhonete, em alta velocidade na BR, e segundo laudos do IML, antes de ser jogada teve o seu maxilar esmagado a socos, falecendo na pista.
Após o crime, Quinto fugiu para os Estados Unidos, onde tem uma empresa, e ficou por lá durante 20 anos, até que a pena prescrevesse e pudesse voltar para o Brasil para enganar àqueles que não conhecem a sua verdadeira face, a face do crime.
Esse é Quinto, o novo Gestor de Fomento ao Produto Turístico da Paraíba.
Vamos nos calar?